DSC_0577

Passado o rescaldo da experiência negativa de Itajaí, onde não tive homologado meu brevet no 200k, do qual ficou a grata experiência de ter sido o meu mais rápido, chegou a hora de dar o próximo passo nos Desafios que me propus para o ano de 2014, entre os quais fechar a série de 200km a 600km do Audax e me tornar Super Randonneur.

 

Esse passo, nem tão simples, seria feito na cidade de Florianópolis, inscrição efetuada, pagamento feito por um dos meus patrocinadores, chegou a hora de me preparar pro evento, o que obviamente não aconteceu como eu queria, treinei pouco, nenhum treino longo, mas que seja, a obstinação sempre fala mais alto e eu daria um jeito de terminar.

 

Por opção, desde que me inscrevi, decidi que faria o 300 também de speed, como já havia feito em Joinville, Floripa e Itajaí, apenas com a preocupação da dor nos pés, por falta de estar acostumado com a rigidez das sapatilhas de estradeira.

 

A largada foi simbólica no Della Bikes e a largada oficial se deu na ciclovia da Beira-Mar.

 

Mas como tudo comigo acaba sendo com um pouco de emoção, sai de casa em tempo de chegar tranquilamente para a largada, já que a ideia era não dormir em Floripa para redução de custos, ai quando chego em São José e paro na marginal para abastecer, meu carro resolveu pifar, faltando uma hora e meia para a largada e quase na hora do check in.

 

Tive de dar meus jeitos, sem desespero, mas com a firme convicção de que eu largaria de qualquer maneira, cheguei no Della, quando todos já estavam alinhados para a largada, entreguei as pressas para o amigo Ivan o gps dele e fui me arrumar, óbvio que não em tempo de largar com o pessoal.

 

Metade das minhas coisas ficou no carro do amigo Fábio de BC e o resto dentro da loja, larguei calmo 20 minutos depois dos outros, com mais um retardatário e fomos buscar nosso caminho, consegui manter uma média razoavelmente boa, começando ainda no Estreito a ultrapassar retardatários e ainda crente de que conseguiria cumprir minha meta de 15 horas.

 

No caminho achei o Ivan, que continuou a pedalar com meu companheiro de até então e eu segui em frente depois de trocar algumas palavras, olhando para baixo socando o pé, na Ponte de Tijucas achei o amigo Marcio Franciski de Joinville, com o resto da turma, conversamos um pouco e cada um seguiu seu caminho.

 

Assim fui pedalando solitário na maior parte do trecho até Itajaí, mas chegando na entrada do túnel do Morro do Boi, passei por alguns bikers que não sei sequer o nome, mas estavam com cara de quem não tinha a mínima ideia do que estava acontecendo, voltei e eles estavam tentando consertar um pneu furado com selante de péssima qualidade e apanhando porque não conseguiam colocar o liquido pela válvula.

 

Sugeri que trocassem a câmara por uma nova, ai chegou o segundo problema, bike em péssimas condições de manutenção, para soltar os freios, foi necessária uma força tremenda, peças travadas, cabos com pontas desfiadas, a galera precisa fazer ao menos uma manutenção básica nas bikes, ainda mais em se tratando de um Audax de 300km, porque nem sempre dá para contar com o espírito Randonneur e achar que sempre tem alguém para ajudar.

 

Pessoalmente, para mim, foi péssima a parada, esfriei e não consegui mais achar meu ritmo, foi uma dureza depois.

 

Mas depois de Balneário Camboriú, apareceram os primeiros ciclistas voltando do PC1 e eu ainda indo, cheguei em Itajaí, me perdi um pouco, pois o gps dava o pc num lugar e não bateu, estava umas 3 ou 4 quadras fora do lugar certo.

 

Parada rápida no PC que era na Tribo das Bikes, resolvi seguir logo e comer no caminho, para não ter de esperar a macarronada, o que se mostrou uma péssima decisão estratégica, pois já no retorno na subida do Morro do Boi, a famigerada fome bateu, cansei e as lombrigas se matando.

 

Próximo ao acesso de Porto Belo, encontrei um grupo de Floripa arrumando pneu, parei para bater um papo e segui com eles até o pedágio.

 

No pedágio, foi hora de tomar aquele café 0800, passar fluido Ibasa no braço e coxa que machuquei um pouco num quase tombo em BC, tirar umas fotos e seguir caminho, acompanhando agora a turma do Marcio e do Zeh Colméia, fui assim até próximo do acesso de Floripa onde me adiantei com um do grupo para o PC2 no Posto Ale perto do Shopping.

 

Para variar, não tinha comida, o negócio foi filar um pacote de salgadinhos com uma abençoada coca 600, abastecer água e seguir em frente.

 

Em São José, ainda tinha um pouco de sofrimento com as malditas subidas para chegar na beira-mar, subi tudo pedalando para não desanimar, nesse trecho seguindo com o Dalton e a Priscila, com os quais fiz praticamente todo o caminho até na Avenida das Rendeiras onde nos afastamos.

 

Dentro da ilha, pegamos a ciclovia, depois passamos por fora do túnel e seguimos até no acesso do aeroporto, de onde fomos ao Rio Tavares, onde finalmente achei uma bendita farmácia para comprar Dorflex e um lanche salgado, o que reanimou para seguir caminho ao Pântano do Sul onde era o PC3 com 233km.

 

Paramos pouco tempo, para retornar e seguir ao PC4 nos Ingleses, 50km em frente, com o temido Morro da Praia Mole no caminho, esse desgramado engoli o orgulho e subi empurrando, nessa hora pesou muito a solidão e o sono acumulado, foi difícil subir esse, depois era uma descida e acelerar em direção ao Rio Vermelho, fazer a travessia daqueles longos kms com pouco movimento e rodovia deserta o que ainda mais aumentou a sensação de solidão.

 

No Rio Vermelho me confundi um pouco na orientação, mas rapidamente resolvido, agora era seguir ao PC no Posto Shell nos Ingleses e seguir para os 27kms finais. Sorte que encontrei um dos bikers que havia pedalado pela manhã e que estava de saída com mais um, só enfiei dois pãezinhos goela abaixo e sai com eles, faltavam 27km, com as subidas na rodovia dos Ingleses, as subidas da SC401 e a desgraça do João Paulo, tinha 01:25 para fazer 27kms com as subidas, cansado, pés doendo, com fome, mas com gana de brevetar, chegar atrasado não era opção, deixei os dois seguindo na frente, eles se esgoelando com as mtb, uma delas inclusive aro 26 e graças a speed, fui girando mais leve, conseguindo manter uma velocidade constante, mas quanto mais perto chegávamos, vimos o tempo fluindo e tínhamos pouco mais de 20 minutos para atravessar as subidas do João Paulo e chegar no Della.

 

Mesmo moído e meio morto, subi todas sem descer da bike, baixando inclusive os tempos do 200k de abril, chegando no Della, faltando apenas 4 minutos para encerrar o tempo, como diz a amiga Patrícia Barcellos, Randonneur de marca maior, usei todo o tempo que eu tinha pago, bom, sem emoção, não teria tanto gosto.

 

Ali cabe agradecer aos amigos de Joinville que estavam se arrumando na van, obrigado pela torcida na chegada, aquilo pagou por todo o sofrimento do caminho, mais que qualquer certificado ou medalha, o reconhecimento dos amigos é o melhor prêmio.

 

Aproveito para mandar um abração ao Marcio que com alguns amigos não conseguiram terminar, ao Marcelo, pelo excelente tempo dele, se tivesse largado junto, possivelmente terminaríamos juntos, ao Ivan pela sua superação e pela persistência e porque não, a própria organização, foi um brevet bem organizado, ficando um pequeno ponto de interrogação nas coordenadas gps, que ficaram duvidosas em alguns locais.

 

Agora é se preparar para o Brevet de 400km dias 16 e 17/08, com certeza a pegada será maior.

 

 

ÁLIAS, NOVO RECORDE, 3 AUDAX 200K E UM DE 300K, SOMANDO 900K SEM PROBLEMAS DE PNEUS.

 

 

Minhas reflexões sobre falhas estratégicas a serem corrigidas:

 

 

 

# Tentar dormir na cidade, pois o cansaço e o stress de chegar a minutos antes da largada, mina um pouco o psicológico;

 

# Triar melhor as paradas para ajudar o pessoal, ajudando demais, acabo me prejudicando no ritmo, planejamento e na própria meta de ser Super Randonneur nesse ano;

 

# Treinar ainda mais, inclusive com privação de sono, para me adaptar a falta dele;

 

# Levar isotônicos e carboidratos em cápsulas e pó, para facilitar o acesso e diminuir o desgaste da falta deles, pois a falta de comida me quebrou na volta entre o PC1 e 2.

 

 

TESTE DE PRODUTOS:

 

 

Levei nesse Audax uma nova bomba, da fabricante Topeak, modelo MiniRocket iGlow (vide foto), ela promete encher pneus até 160psi/11bar, ou seja, mais que o suficiente para pneus de speed. Eu pessoalmente não usei para mim, mas usei para ajudar outro biker e enchi um pneu de aro 29 em tempo recorde, ela realmente cumpre o que oferece e tem a vantagem de ter sido desenhada para ir presa no canote e o embolo dela serve como uma forte lanterna traseira de luz vermelha, fixa e piscando. O preço é mais salgado que as normais, mas vale pelo desempenho e segurança. Maiores detalhes com o Marcos Huskes e sua equipe na Happy Bike, fone (47) 3323-0513.

DSC_05421

 

 

Obrigado aos meus apoiadores, que são cada vez mais importantes.

 

Marcos e equipe da Happy Bike de Blumenau que cuidaram do equipamento de forma rápida e precisa, a bike não apresentou nenhum único problema.

 

Adilson e Silvano da Furbo de Benedito Novo, que cuidam da confecção da camisa e agora também da bermuda, que será testada no 400k.

 

Ao Silvio da Cúpula Criativa que cuida do site (criação e publicação) e da arte do vestuário, assim como também esta trabalhando no meu site profissional.

 

Ao Elton da Impacto Fitness, onde faço o trabalho de musculação e pego os suplementos que são industrializados.

 

E não menos importante, o meu amigo Dorgivan que lá das terras potiguares, sempre colabora com meu projeto sem ganhar e esperar nada em troca além da amizade.

 

E obrigado ao apoio mais importante de todos, minha família, eles, que entendem minhas ausências quando treino, meus finais de semana viajando em busca dos eventos, enfim, obrigado galerinha.

 

Vocês todos são a peça chave do projeto que está entrando numa nova e mais séria fase.

Álbum de fotos AQUI

 

 

Boa leitura, um abração e até a próxima.

Seguem os links do Strava e Wikiloc:

 

patrocinio

16 thoughts on “Série #Desafios2014, AUDAX Floripa 300km

  • julho 27, 2014 at 11:13 pm
    Permalink

    Grande Eleonésio! Parabéns por mais essa conquista, por subir mais um degrau rumo ao seu objetivo. Tenho certeza que um futuro brilhante lhe espera, tanto nos pedais quanto na vida!!
    Forte abraço e avante!!

    • julho 27, 2014 at 11:43 pm
      Permalink

      Obrigado Matheus. Torcemos por esse futuro.

  • julho 26, 2014 at 10:59 pm
    Permalink

    Parabéns Eleonésio. Apesar de ter largado tarde ainda teve tempo de ajudar outros amigos randoneeurs. Nos vemos no 400 k. Abraço.

    • julho 27, 2014 at 4:51 pm
      Permalink

      Valeu amigo. Eu tento ajudar quando dá, mas vi que dessa vez me prejudicou bastante, porque esfriei demais. Bora lá no 400k.

  • julho 25, 2014 at 10:45 pm
    Permalink

    Parabéns pela sua determinação… sentimos orgulho de você…. te amamos muitooooo…..

    • julho 25, 2014 at 10:47 pm
      Permalink

      Obrigado família, por compreenderem minhas ausências.

  • julho 25, 2014 at 11:43 am
    Permalink

    Parabéns!
    Lendo seus relatos tenho cada vez mais vontade de participar desses desafios. Está quase certo que ano que vem estarei junto!

    Abraço!

    • julho 25, 2014 at 12:18 pm
      Permalink

      Valeu Johannes. Com certeza estas pronto para isso e vais ser muito bem vindo a esse mundo. Vais ver que é um mundo totalmente diferente de outros eventos ciclísticos. E é viciante. De amanhã em 3 semanas rola o 400k.

  • julho 25, 2014 at 1:16 am
    Permalink

    Eleonésio, parabéns mesmo! Muita superação!!!
    E taca-le o pau no 400 km
    Abs

    • julho 25, 2014 at 3:24 am
      Permalink

      Valeu meus ciclísticos amigos, com certeza vou tacar o pau…

  • julho 24, 2014 at 11:42 pm
    Permalink

    Parabéns Eleonésio, você é o cara!!!! Lhe admiro pela sua história, seus relatos e sua dedicação. Nunca pedalamos juntos, mas num futuro próximo pretendo fazer parte dessas “aventuras” e com certeza você será um grande parceiro. Abraços.

    • julho 25, 2014 at 12:47 am
      Permalink

      Valeu Claudio, realmente ainda te devo aquele pedal. Quanto a fazer parte das aventuras, sempre será bem vindo. Conta comigo.

  • julho 24, 2014 at 11:19 pm
    Permalink

    Parabéns pela conquista Eleonesio. Gostei muito do relato e do estilo de redação. Obrigado pela dicas, principalmente da bomba, que já encomendei uma. Grande abraço e nos vemos no BRM400.

    • julho 25, 2014 at 12:46 am
      Permalink

      Obrigado pelas colocações sobre o post e com certeza nos vermos no BRM400. Fim de semana retorno aos treinos. Abraço.

  • julho 24, 2014 at 8:36 pm
    Permalink

    Grande Eleonesio,

    Meus parabéns pelo brevet, foi lindo ver você chegando com vontade nos minutos finais, sua força de vontade foi superior! Com certeza no 400 vamos deixar os imprevistos pra trás e vamos fazer um bom tempo juntos, pode anotar ;)

    Abraço!

    • julho 24, 2014 at 8:56 pm
      Permalink

      Obrigado. Mais lindo ainda foi ver a torcida de vcs no carro, isso pagou qualquer sofrimento. Com certeza no 400 vamos detonar.

Comments are closed.